Se inscrever

header ads

Professor foi assassinado durante encontro marcado em rede social no Ceará, diz polícia

Marcos Aurélio Marques, de 49 anos, foi torturado por quatro pessoas e teve os pertences roubados.

Marcos Aurélio Marques, 49 anos, saiu de casa no Bairro Bom Jardim e foi encontrado sem vida na Granja Lisboa, em Fortaleza — Foto: Arquivo pessoal


O professor de matemática Marcos Aurélio Marques, de 49 anos, encontrado morto com sinais de asfixia no Bairro Granja Lisboa, em Fortaleza, foi assassinado durante um encontro marcado em uma rede social com um dos suspeitos do crime. A informação foi confirmada nesta terça-feira (5) pelo delegado Rodrigo Jataí, que investiga o caso.


Dois irmãos foram presos e dois adolescentes, com idades entre 16 e 17 anos, foram apreendidos por participação no crime. Um dos adolescentes capturados é o que marcou o encontro com o professor e atraiu a vítima para roubá-la.


"A vítima conheceu um dos adolescentes em uma festa, acabaram trocando as redes sociais e inciaram uma conversa. No dia 24 do novembro o adolescente chamou a vítima para curtir na casa dele, mas ele já havia premeditado roubar o professor. Então, o adolescente também combinou com outras duas pessoas, que ficaram escondidas no banheiro e renderam o professor quando ele chegou na residência", disse o delegado.


Um dos suspeitos que estava no local era Antônio Alves dos Santos Neto, 27 anos, preso na sexta-feira (1º), durante o cumprimento de um mandado de prisão preventiva por outro homicídio. O irmão de Antônio Neto, Antônio Igor Alves da Silva, 26 anos, também foi capturado por participação no crime.


Vítima torturada

Amigos fazem ato pedindo Justiça pela morte do professor de matemática Marcos Aurélio. — Foto: Marcela de Lima/SVM


Conforme Rodrigo Jataí, após ser rendido pelos adolescentes e por Antônio Neto, Marcos Aurélio foi amarrado em uma cama só de cueca e foi obrigado a passar as senhas dos cartões de crédito e do aparelho celular.


"O trio foi na residência de outro indivíduo que tinha uma máquina, passaram os cartões da vítima, repassaram o aparelho celular dele para outras pessoas. Depois retornaram a casa e resolveram matar o professor", relata Jataí.


Marcos ficou amarrado na cama por cerca de duas horas antes de ser morto pelos suspeitos, que já estavam acompanhados de Antônio Igor.


"A investigação mostra que um dos adolescentes foi responsável por tracionar a corda no pescoço da vítima, enquanto o outro chutava e socava ele e o Antônio Igor colocava um saco no rosto da vítima. O Neto presenciou todo o cárcere", afirma o delegado.


Ao todo, o grupo roubou do professor R$ 2.070 em compras nos cartões de débito e crédito, o aparelho celular, o relógio, os tênis e uma caixa de som que estava no carro da vítima.


O corpo de Marcos Aurélio foi abandonado em um terreno na Rua Orlando Dias e a polícia foi acionada no dia 25 de setembro. No dia seguinte, ao achado do cadáver, a polícia conseguiu localizar o carro de Marcos Aurélio abandonado em uma rua no Bairro Granja Lisboa.


Celular vendido em site


De acordo com Rodrigo Jataí, o aparelho celular da vítima foi rastreado e localizado com uma pessoa que não está envolvida no crime e que adquiriu o objeto através de um site de vendas.


Para comercializar o celular, o delegado afirma que os criminosos apagaram todos os dados do professor e fizeram uma nota fiscal falsa, que foi apresentada ao comprador.


A polícia conseguiu recuperar os dados do professor e encontrou a conversa em que o adolescente convidava a vítima para o encontro.


Com a elucidação do caso, Antônio Neto, que já tem antecedentes criminais por tráfico de drogas e o irmão dele, Antônio Igor, que responde por roubo, foram autuados por homicídio qualificado por motivo torpe, impossibilidade de defesa da vítima e restrição de liberdade.


Os dois adolescentes, que já possuíam registros de atos infracionais, foram encaminhados a Delegacia da Criança e do Adolescente (DCA) e também irão responder ao ato infracional análogo ao mesmo crime registrado contra os irmãos.


Fonte: g1 CE



Enviar um comentário

0 Comentários