Se inscrever

header ads

Queiroga diz que vai 'trabalhar firmemente para ter um Natal sem máscara'

Ministro da Saúde não detalhou se a pretensão do governo federal é desobrigar o uso de máscaras nem deu detalhes de como a medida deve acontecer na prática.

Queiroga diz que vai 'trabalhar firmemente para ter um Natal sem máscara' — Foto: TV Cabo Branco/Reprodução


O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, disse nesta quarta-feira (10) que vai trabalhar para ter um "Natal sem máscara", se referindo aos itens de prevenção ao contágio pela Covid-19.


Para ele, dispensar o uso do equipamento de proteção individual pode ser possível devido ao avanço da vacinação no país.


“A população brasileira é esclarecida. A população brasileira tem buscando a campanha de vacinação [...]. E vamos trabalhar firmemente para ter um Natal sem máscara”, pontuou.


No entanto, o ministro não detalhou se a pretensão do governo federal é desobrigar o uso de máscaras nem deu detalhes de como a medida deve acontecer na prática.


A declaração foi feita durante a passagem de Queiroga por João Pessoa. No mesmo evento, o secretário de Saúde da Paraíba, Geraldo Medeiros, discordou que seja o momento para que os brasileiros deixem de usar os itens. De acordo com ele, a imunização junto com o uso das máscaras continuam sendo as formas mais eficazes de combater a pandemia do novo coronavírus.


"Nós não podemos, nesse momento, abandonar e desobrigar a utilização de máscaras. As máscaras são elementos importantíssimos, neste momento, para que nós possamos diminuir cada vez mais os novos casos diários e de óbitos. E evoluirmos de uma pandemia para uma endemia. Isto é, nós termos anualmente poucos casos e poucos óbitos decorrentes da Covid-19", disse.


Por que ainda é importante o uso de máscara


Apesar da queda do número de mortes e da taxa de transmissão do coronavírus, e do avanço da vacinação no Brasil, o uso da máscara segue sendo importante para a proteção contra a Covid-19. Especialistas apontam uma série de motivos para a manutenção da prática.


Estudos mostram que a principal forma de transmissão do coronavírus ocorre pelo ar, por meio de aerossóis, partículas bem pequenas que permanecem flutuando e se acumulam quando estão em ambientes com pouca ventilação.Com isso, o foco da prevenção deve ser em não compartilhar o ar com outras pessoas.


Em ambientes fechados, mal ventilados, como no transporte público, uma máscara de boa qualidade, tipo PFF2, e bem ajustada no rosto, é essencial. É a única forma de garantir que não há troca de aerossóis com outras pessoas contaminadas e também de não contaminar ninguém.


As aglomerações em ambientes fechados sem máscara também aumentam a circulação do vírus e favorecem o surgimento de novas variantes.


Os especialistas também ressaltam a questão da vacinação. As vacinas aplicadas no Brasil reduzem significativamente a possibilidade de a pessoa imunizada ter a forma grave ou morrer de Covid-19. No entanto, a imunização não é 100% eficaz. Pois é necessário que uma parcela alta da população esteja vacinada para que a pandemia seja realmente controlada. Estima-se que seja um patamar acima de 70%.




Enviar um comentário

0 Comentários