Se inscrever

header ads

Prefeito afastado é preso pela PF por desvio de recursos e ocultação de documentos no RN

Wellison Ribeiro (PP) estava afastado do cargo pelo TRE desde o dia 3 de dezembro por conta da condenação. Novas eleições para o município serão marcadas.


Wellison Ribeiro (PP), prefeito afastado de Canguaretama, RN — Foto: Divulgação


O prefeito afastado do município de Canguaretama, Wellinson Ribeiro (PP), foi preso nesta quinta-feira (9) após se apresentar espontaneamente na sede da Polícia Federal em Natal (RN) acompanhado dos advogados.


Wellison foi condenado a mais de quatro anos de prisão em regime semiaberto pela Justiça Federal por ocultar documentos referentes a programas de educação e desviar recursos federais.


O prejuízo estimado aos cofres públicos por conta dos crimes é de R$ 1,2 milhão.


O mandado de prisão foi expedido pela 14ª Vara Federal Criminal do RN em novembro. Questionada, a assessoria do prefeito não comentou sobre a prisão e disse que ele se pronunciará na sexta (10).


Por conta da condenação, Wellison foi afastado do cargo de prefeito de Canguaretama no dia 3 de dezembro após o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) cassar o registro de candidatura dele e da vice Fátima do Murim (Cidadania).


O presidente da Câmara Municipal de Canguaretama, Wilsinho Ribeiro, que é irmão do prefeito afastado, foi quem assumiu a prefeitura - por 90 dias. O TRE determinou a marcação de novas eleições.


O processo de condenação já transitou em julgado e não há mais como recorrer. Antes, ele chegou a recorrer ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas não conseguiu reverter a decisão.


Após a prisão, o prefeito afastado foi encaminhado para exame de corpo de delito no Instituto Técnico-Científico de Perícia (Itep) e retornou para a Superintendência da PF, onde se encontra custodiado, à disposição da Justiça.


O recurso que apontou a inelegibilidade de Wellinson Ribeiro nas eleições de 2020 mostrou a existência de uma condenação criminal do Tribunal Regional Federal da 5ª Região em face pela prática de crimes contra a fé pública e crime de responsabilidade, o que o tornaria inelegível.


Nas eleições de 2020, Wellinson ganhou com 48,82% dos votos. Ao todo, foram 9.046 votos recebidos.


g1 RN



Enviar um comentário

0 Comentários